Os “amores” mau resolvidos que eu já tive.

Oi gente, Hoje vou falar pra vocês mais um capitulo sobre a minha vida, preparem a pipoca que o filme mais complicado vai começar. Bom, nunca fui uma menina com “sorte” nessas coisas de amor, de meninos, de ser admirada desse blá blá blá todo, nunca fui a SENSACIONAL das garotas, a mais bonita ou muito menos a mais especial, antes eu achava isso uma droga, um motivo para eu sentar e chorar a tarde toda até dormi, agora não acho tão droga assim pelo contrário aprendi ser mais eu a parti disso. Quando eu tinha uns 9 pra 10 anos eu gostava de um menino, ele era baixo, tinha olhos puxadinhos parecendo um chinês e gostava de uma das minhas melhores amigas. É, eu detestava isso! era como abrir um buraco em uma criança inocente ou enfiar uma faca no meu coração, passei 2 anos gostando desse menino e sendo chamada de “gorda” por ele, como eu podia amar alguém que só me fazia chorar? essa pergunta eu quero responder quando já estiver casada com 2 filhos, um trabalho e uma casa para morar, porque agora eu não saberia responder isso, enfim.. esse foi meu primeiro amor mau resolvido, que acabou como geralmente acaba, cada um pro seu lado e se esquecendo, como um “Adeus”, só que nesse caso não foi um adeus ruim, dei graças a deus por um ano depois eu não senti absolutamente nada pelo mesmo menino. O meu segundo caso foi um garoto novato que me apaixonei na 5 série, era doida por ele, não cansava de falar com ele e olhava para ele a cada canto que ele estivesse, me iludi por esse menino quando uma das minhas amigas tinha me ajudado a chegar nele e ele disse um “i love you” ou melhor um “eu te amo” no MSN, fiquei derretinha, pulei de emoção “enfim tinha dado certo com alguém, yeeees” so faltava ter um infarto fulminante naquela tarde e além das palavras bonitas, ele queria ficar comigo! Na hora eu pensei, “cara sou bv, mas como isso???” fiquei tão feliz que até vi vídeos para beijar, não queria fazer feio no primeiro beijo né? me preocupei tanto com isso que o tal beijo nem aconteceu, é o cara tinha me deixado plantada na hora do beijo! Nossa, como eu chorei! eu pude até ouvi os pedaços do meu coração caindo no chão e alguém rindo muito da minha cara como se dissesse ” você não ganha uma, sua gorda porca”, e ai eu dei adeus para mais um amor mau resolvido na minha vida. O outro carinha que fez uma visita ao meu coração foi um que me deixou apaixonada com apenas 3 semanas de “olhares”, ele era novato e eu estava em uma fase “linda como nunca”, tinha perdido 13 Kg depois de meses fazendo uma dieta super hiper rígida, eu estava tranquila, naquela de se achar mesmo, eu tava magra, morena como nunca, tem como não se achar? ah tem! e ai um novato tinha chegado na escola, minhas amigas gritavam no meu ouvido “rebeeeca, um novato” e sempre temos expectativas que os novatos seja alguém simpático e bonito né mesmo? até que quando eu vi fiz “uaaal” é gatinho, só que meu forte é sempre dá errado que eu até estava até com medo de arriscar, pra que né? só me ferro nessa coisa de “tampa da minha panela”, então nem arrisquei tentar nada, além de amizade! Só que ai.. eu não estava me envolvendo sozinha, os dois estavam, e isso na época era ótimo para mim, me sentia namorando, casando, morrendo ou qualquer sensação a dois que existe, e ai aconteceu. Não sei dizer exatamente para vocês, como aconteceu, só aconteceu e ai a gente começou a namorar, parecia um casal de maternal 2, porque não rolava beijo e nem abraço, a gente namorava por “olhar”, por lança raios ahusahus, escroto demais! mas foi assim, 3 semanas namorando por olhar e eu fico me perguntado o motivo de eu me entregar tanto para namorar com olho, oh god! Depois de 3 semanas “namorando” isso acabou, eu chorei, chorei e chorei como o de sempre, e pude escutar meu coração caindo em mil pedacinhos na privada e a alguém dando descarga! e ai se ia, mais um amor mau resolvido na minha vida. O outro cara, esse eu posso dizer “cara” foi o cara com que realmente eu entreguei o meu coração em cacos para ele construir, e ele meio que conseguiu. Foi um dos amores que vai fazer parte da minha vida pelo resto dela, por fazer parte de uma historia construída por mim, esse cara que me construiu, como também me quebrou. Acabamos o namoro depois de alguns meses felizes e também tristes, coisa de relacionamento, quem não passa por ambos momentos ne mesmo? A parti dai segui minha vida, e tudo isso me serviu de uma experiência enorme, comecei a amadurecer e a ter cuidado com essa ilusão de “meninos, casais, namoros perfeitos” comecei a ter outra visão do que realmente é amar alguém de verdade ou até mesmo ter uma relacionamento, e isso me formou quem eu sou hoje. Depois desses caos que aconteceram na minha vida, sim tive outro namorado um ano depois, e não foi diferente, só que dessa vez eu dei um ponto final, e isso era super novidade para mim! Não me sentia preparada, e a forma “amar” não fazia mais parte de mim, não conseguia amar, sentir, seja o que for, não fazia diferença nenhuma pra mim. Desde do ano passado, estou SOLTEIRA, e não me chateio com isso, claro que sempre queremos alguém para compartilhar momentos, palavras, atos, sempre queremos não tem como negar, porém a gente aprende a conviver com o fato de está “sozinha” de ser solteira e de não se intimidar com isso, essa bagagem que eu trago me trás diversos motivos, para eu não fazer tanta questão de ter um namorado porque agora é MODA! não… eu acredito em amores e romances verdadeiros que valorizem o verdadeiro significado do amor, e não tenho pressa. Já tive ficadas, lances, amizades coloridas e isso não vem ao caso, claro que cada “lance” acontecido, nos trás uma experiência, cada pessoa com quem nos “envolvemos” nos ensina uma coisa, seja ela ruim ou boa. E hoje sou um poço de conteúdos, um mar de informações por tantos “casinhos” que já me envolvi e na maioria das vezes eu dou o ponto final, ando procurando o amor mas não o acho, já fui em mais de 20 esquinas mais ele não aparece. Os amores mal resolvidos, me trouxerem lembranças, algumas que acho até graça e outras que me deixam triste.. Só não posso esquecer, de quantas experiências tenho na minha bagagem e de quantas vezes meu coração se despedaçou em pedacinhos tão pequenos que até hoje não terminei de achar. Hoje sou uma pessoa mais interessada em me construí, em me sentir melhor! Sem amores, sem ilusões e sem relacionamentos mau resolvidos, creio que o amor vai chegar de uma maneira ou de outra.

Essa foi umas das experiências que mais marcaram a minha vida! Espero que gostem. Beeeijos. 

Voltando com MUUUITAS novidades! #volteiblog

Oi geeente, Bom depois de tanto tempo longe daqui 4 longos meses de pura movimentação na minha vida, resolvi ativar isso aqui novamente para a gente continuar conversando sobre onde paramos, para compartilhar tudo que o blog promete com vocês. Primeiramente quero explicar o motivo de não ter postado aqui por 4 meses, começando pelo principal motivo: A ESCOLA!, é a escola essas duas unidades que já se foram tomou bastante tempo meu, isso de segunda a domingo, muitas provas, madrugadas sem estudar, diversos copos de cafés tomados, isso explica bastante o principal motivo de não ter mais entrado aqui, foi muito apertado esses tempo todo! Como agora passei em TODAS ♥ e fiquei rapidamente de férias, tive um “ufa” na vida e bem mais tempo para ativar isso aqui com MUUUUITAS novidades, e muitos papos que vamos compartilhar juntos! Irei contar tudo que aconteceu na minha vida esses meses, experiências que eu tive, coisas boas mas coisas tristes também, isso tudo dá inúmeras postagens que irei contar pra vocês. Queria me desculpar por todo esse tempo sem entrar, e dizer que sim voltei com tudo e com MUITASS novidades! Beijos. ♥

Coisas que não pode faltar no meu cantinho ♥

Oi gente, hoje vou fazer um post sobre algumas coisas que adoro e com certeza não pode faltar no “canto da rebeca”, vou falar sobre algumas coisas que me faz sentir completa e garanto que vou fazer vocês conhecer um pouco mas de mim.

1 – Bíblia Sagrada : Adoro ler a bíblia, sempre que posso ou sempre que devo leio. Começo fazendo um “cronograma” de ler todos os livros da bíblia, desde de gênesis há apocalipse. Através da Bíblia aprendo a maneira correta de viver, de acordo com os ensinamentos que Deus deixou para nós como manual de vida, Costumo a ler a Bíblia antes de dormi, isso faz com que eu fique em paz comigo mesma e também faz com que eu me alimente da palavra do senhor!

2 – Um caderno e umas canetas (preta) : Sempre preciso de uma caneta e um papel por perto de mim, com vocês sabem eu adoro escrever o tempo todo, adoro desabafar por meio de palavras e me sinto realmente bem com isso. Tenho pensamentos e desabafos o tempo inteiro, tem horas que só quero escrever e escrever. Não deixo de maneira alguma longe de mim um caderno e uma caneta, quase sempre preciso disso pra escrever tudo que se passa.

3 – Doces : Os doces me fazem sentir uma sensação extremamente prazerosa, tudo fica mais calmo quando pego um doce e como, parece que o tempo para e só existe eu e aquele delicioso doce no mundo, adoro brigadeiro de preferencia e sempre adoro ter eles por perto, me faz sentir de bem com a vida.

4 – Livros : Amo ler, AMO! Sem vírgulas ou palavras a menos, eu só amo mesmo. No meu “cantinho” não pode faltar os meus livros favoritos, como PS eu te amo, não se apega, não, toda coleção da mediadora, enfim.. o ato da leitura é algo extremamente eficaz, ao lermos uma coisa que nos agrada, conseguimos desfrutar e aprender com o tal livro, amo mesmo de verdade.

Espero que vocês gostem, beeeeeijos ♥

A vida é feita de escolhas.

Oi gente, começarei explicando hoje porque a ausência dos meus posts esses dias. Eu tava na casa de uma amiga aproveitando o pouco de férias que ainda me restavam e só retornei pra casa ontem, sendo assim tá explicado né? kkk! Bom, resolvi fazer um post hoje sobre oque várias vezes acontece nas nossas vidas que é bem normal e que devemos ter bastante cuidados antes de toma-las, é tô falando das ESCOLHAS. Escolher algo é basicamente tomar decisões na vida em que pode nos levar para melhor ou até mesmo para o pior, isso vai depender do tempo que irá dizer se é certo ou errado aquilo que você decidiu. As vezes ou quase sempre na vida temos que decidir, decidir aquilo que achamos que é melhor pra nós, decidir aquilo que vai nos fazer avançar ou recuar. Nem todas as decisões que tomamos nas nossas vidas são exatamente certas, coisas ruins também acontece pelas nossas escolhas. Eu como exemplo estou passando por essa fase da minha vida, em ter que escolher oque é melhor pra mim e oque vai me fazer avançar tanto nos meus estudos, como na minha vida pessoal e também em outras diversas coisas que me relaciona. Como vocês sabem esse ano estou entrando no Ensino Médio e começando uma nova fase em minha vida, as coisas vão começar a apertar, o tempo vai começar a encurtar e eu como protagonista de tudo isso tenho que saber escolher oque adquiri pra minha vida. “A vida é feita de escolhas” essa frase é uma das mais certas do mundo, você é oque você escolhe, sua vida se direciona para aquilo que você escolhe e seu rumo também é para aquilo que você decidiu escolher. Todos nós passamos por fazes na nossa vida em que sim, temos que optar, temos que decidir, temos que escolher entre o rosa ou roxo, entre o ouro ou a prata. Por isso pense antes de cada escolha feita,estude aquilo que você realmente quer pra sua vida, escolhas erradas nos leva para o caminho errado, não tenha dúvidas disso. Escolha certas, nos levam para o caminho que desejamos!

Esse texto, com certeza é para refleti sobre tudo! Beeeijos ♥

Um esporte que aprendi a amar, uma família que aprendi a ter.

Olá gente, bom como vocês sabem ou devem saber eu jogo basquete. É muitas pessoas acham brincadeira e até ri da minha cara, por eu ser desse tamanho e jogar basquete, um jogo considerado para PESSOAS ALTAS, coisa que eu não sou. Hoje vim aqui pra compartilhar com vocês o que vivi nesses 3 anos que jogo basquete, nas experiências que tive e nas várias lições que aprendi. Comecei a jogar basquete com 13 anos de idade, depois de uma fase ruim que tinha passado na minha vida, resolvi fazer algum esporte com que eu pudesse me dedicar e tentar fugir de toda essa situação. Minhas amigas foram  principais incentivadoras nisso e ai decidi entrar, falei com meu atual treinador e ele me incluiu no time. A parti daí comecei a frequentar os treinos e entrei pra nossa “FAMÍLIA BASQUETEBOL”, confesso que no começo foi bem difícil pra mim, eu me imaginaria jogando qualquer coisa menos basquete, antes de conhecer esse esporte que mudou minha vida, achava ele um saco, admito. Quando comecei a jogar e a conhecer o basquete mudei totalmente de opinião e com certeza minha vida só mudou pra melhor, aprendi diversas coisas com esse esporte, a principal delas é ter a capacidade de superar limites e enfrentar barreiras enormes por sinal. Comecei a treinar, não sabendo bater nem uma bola e ai chegou os jogos, os jogos que decidiam se nosso time ia ou não competir pernambucano, me lembro como hoje como minha mão tremia, senti até pena das minhas unhas de tanto roer, não me imaginava jogando, não me imaginava defendendo um time, não me imaginava ali naquele lugar, eu queria fazer de tudo menos entrar naquela quadra e começar a jogar. Enfim, ganhamos e a gente ia disputar pernambucano, isso me deixou feliz e com medo ao mesmo tempo. A sensação de jogar pela primeira vez da sua vida não é legal, você acha que não vai consegui se dar bem ou que vai errar, você sempre acha a pior coisa, tenha certeza é automático. Depois desse primeiro jogo em que me sentir horrível, me aprofundei mais e passei a tratar isso como responsabilidade, mais além de tudo passei a ver isso com amor, uma coisa que eu amava fazer. Basquete pra mim foi como um relacionamento, tive altos e baixos, chorei de alegria mais também chorei de tristeza, chorei de emoção, chorei de amor e de uma forma ou outra me apeguei, hoje não vivo mas sem. Nas quadras eu encontrava a minha paz, a paz de espirito! Quando eu estava jogando, nada me importava além da minha vontade de querer fazer mais e mais. No basquete construí uma família maravilhosa, amigos que pro resto da vida sei que posso contar, amigos que dividiam as alegrias e também as tristezas, amigos e companheiros de time que hoje preenchem o meu coração. No esporte a gente faz amigos, a gente faz família. Hoje sou uma eterna amante do basquete, hoje tenho uma família em que podemos sentar em uma mesa e muitas histórias ter pra contar, histórias felizes de momentos de conquistas realizadas mais também histórias tristes de perdas recebidas, mais oque seria de nós sem todas essas experiências? não seriamos nada. Me orgulho do meu time, por todas as situações passadas, por um só sonho : Ser campeão na raça, transformar nosso suor em ouro, dá 100% de nós em quadra. Amo oque faço e as pessoas em que convivo! Sou uma pessoa melhor, pela grande família que construí e pelo esporte que aprendi a amar. 

Deixo pra vocês hoje, um pouco sobre alguns amores que tenho um deles é o basquete como vocês sabem! Jogo pelo colégio e sonho por jogar em clube e representar meu estado com todo amor do mundo! Vou deixar, algumas fotos dessa grande família basquete que tenho. Beijos, adorei compartilhar isso com vocês!

Foto em que ganhamos o 3 lugar no JEPS, jogos escolares de pernambuco.

page

1939827_788464034538404_2451615340821593348_n

Espero que gostem, Mil Beeeijos ♥

Enfim… Resolvi me aceitar!

Olá gente, vim falar sobre uma história de vida minha que até hoje me deixam algumas marcas, pra ser mais direto vou falar “amor próprio” e “aceitação”. Mas o que é isso? Amor próprio é quando aprendemos a nos aceitar da maneira que nós somos, é se olhar no espelho e se amar, é amar a nós mesmos! Para algumas pessoas é difícil ter esse “tal” amor. Eu sou um pleno exemplo disso. Quando eu era menor, eu sempre fui gordinha, sempre fui fora dos padrões em que a sociedade acha o “certo”. Recebia diversos apelidos por conta disso, me chamavam de bujão, de baleia fora d’água”, de bola de jogar futebol e isso me deixava altamente triste. No começo não me atingia muito, por eu ser pequena e só querer saber de brincar, mas depois ao longo do tempo isso começou a me doer, eu recebia nome de gorda até mesmo pelos meus próprios familiares. Com 11 anos, na 5ª série foi uma das minhas piores fases, porque todo os dias eu era chamada de alguma coisa. Acabei me apaixonando por um menino que me achava feia porque eu era GORDA!. Isso sempre me afetava muito, as vezes eu tinha raiva de mim por ter que ser gorda. Com 12 anos minha mãe me levou a um nutricionista e vi que tava bem acima do meu peso “normal”, não fiquei tão surpresa disso, eu já sabia há tempos. Ela passou uma dieta e eu comecei a fazer. Na minha cabeça eu tinha que perder tudo muito rápido, eu queria que aquele volume saísse de mim, eu queria que o nome “gorda” não se referisse mais a “Rebeca A gordinha da Sala”, então do pouco que eu comia passei a não comer quase nada, é isso aí mesmo que vocês estão pensando, eu comia 2 colheres de arroz, 2 colheres de feijão e um pedaço de carne por dia e se eu comesse mais eu me sentia uma droga depois, me sentia como se tivesse feito tudo errado e que eu certamente iria engordar. De uma tentativa de dieta passou a ser uma loucura psicológica. Quando me dei conta já estava deixando isso tomar conta de mim, passou a ser a minha rotina em que eu achava certo. Eu me escondia no quarto pra minha mãe não ver a quantidade de comida que eu ingeria, eu não gostava de sair pra lugares em que tinha que comer, eu comia excessivamente e depois corria para o banheiro pra tentar botar tudo pra fora e isso fez parte da minha vida. Depois de um tempo convivendo com isso, decidi procurar ajuda com algumas pessoas que eu confiava, fui ao psicólogo e descobrir que eu estava com bulimia, começo de anorexia. Entrei em real desespero e comecei a me tocar que eu estava magra, porém minha saúde estava ruim. Eu estava prestes a ter algo bem pior e ter que ficar internada. Acompanhada por psicólogos consegui me “curar” disso, na verdade não acho que isso se cura como vai embora e tchau, sim, isso volta! É como se fosse uma droga, se você deixar se levar, você fica totalmente dependente disso. Então comecei a mudar. Com 13 anos engordei um pouco mais que o normal, tive recaídas, fiz regimes sem nexo mas tive um começo de conformação de quem eu realmente era e de quem eu sou até hoje. Em dias, tenho 14 anos, e sim, luto contra a balança só por estética mesmo. Olhando as os fatos passados me pergunto o porquê de não me amar exatamente assim, gordinha, baixinha de aparelho e de cabelo curtos, mas respondo essa pergunta todo dia que me olho no espelho e me acho linda independente de qualquer opinião alheia! Hoje eu me amo, sou mais eu e que se dane o que escuto sobre minha aparência. O amor-próprio vem quando você permite que ele ocupe seu coração, quando você simplesmente se sente bem consigo mesma, quando se olha no espelho e diz: eu sou linda, mas não da boca pra fora, de corpo e de alma também. Para conseguirmos outros variados tipos de amor, temos que ter amor por nós mesmos, temos que nos respeitar, nos limitar, nos amar intensamente. Eu aprendi isso com o tempo, eu aprendi que pra ser bonita eu não precisava ser magra, alta com cabelos grandes e olhos claros, não. Eu só precisava de um sim para eu mesma, de uma oportunidade pra me fazer feliz. E é, eu me dei, me dei o valor que eu realmente merecia. E hoje sou satisfeita! Claro que tem manhãs que acordo que meu rosto não está tão legal assim ou os meus cabelos não está como eu realmente quero, mas isso uma maquiagem e um pente resolve, com certeza resolve! Me sinto bem, feliz e amada. A lição que eu deixo pra vocês é: se permitam! Permita botar aquela saia curtinha que você tanto queria usar, independente do tamanho do seu corpo, permita botar aquela blusinha apertada que você acha que não vai ficar legal, permita sair por aí amostrando as pernocas em dia de verão, permita usar aquele top que você tanto ama, mas não usa com medo do que vão falar. SE PERMITA! Use e abuse, se sinta maravilhosamente bem consigo mesma, se sinta feliz por cada coisa que Deus lhe deu. Você é única (o) tenha certeza disso.

10868276_854898071228333_3032382360650973628_n (1)

Me permitindo usar o Biquíni que eu tanto amo! Adorei demais ♥ Mil Beeeeijos!

Resenha : NÃO SE APEGA, NÃO. – Isabela Freitas.

blogger-image-378685234

Olá gente! Bom, hoje vim compartilhar pra vocês o que eu achei do livro da Isabela Freitas que está fazendo sucesso entre os leitores. Ganhei esse livro de um amigo e quando eu li a sinopse dele já me apaixonei de cara por ele falar sobre situações em que também passei na minha vida e que ainda passo. Comecei a ler e já achei um texto que tinha tudo a ver comigo, o que falava sobre DESAPEGO. Em poucos dias o li por inteiro. O livro tem 254 páginas e fala sobre diversas histórias em que a leitora viveu, é impossível não se identificar com alguma situação retratada no livro. Além de várias histórias, o livro também fala sobre amores mal resolvidos, decepções, relacionamento e desapego, ele ensina a nós leitores como saber lidar com esse tipo de situação, é realmente fantástico. Amei o livro por me identificar com ele em diversas situações e com certeza aprendi demais com ele. Eu super indico que vocês leiam o livro da Isabela, ele nos ensina uma lição valiosa de como passar por tudo isso que acontece na nossa vida e seguir de cabeça erguida. Ele vende em qualquer livraria e custa no mínimo 24 e no máximo 28 reais, super barato e vale muito a pena isso eu garanto! Bom gente, recomendo muito esse livro e quero que vocês compartilhem comigo o que vocês também acharam. Mil beeeeeijos! ♥

Leiam também as 20 regras do desapego em que a Isabela nos ensina :


livro

Sentiu o gostinho? tem isso e muito mais! ♥